17 de jan de 2011

Começa a chegar material para a obra da Água da Pingadeira em Macarani

O que era sonho, agora é realidade em Macarani. Com a liberação da verba consoante ao projeto de viabilização da Água da Pingadeira, empenhado no Ministério da Integração Nacional, no inicio de 2010, pelo prefeito Carlinhos, para resolver em definitivo o problema de água potável na sede e no distrito de Itabai, haja vista o notório crescimento do município e a escassez do Rio Mangerona, que há quase meio século, tem sido o único fornecedor de água para a população local. O bom e velho Mangerona, enfim, irá se “aposentar”. A água que os macaranienses passarão a consumir em breve, brotará do Rio Paterão, localizado a 28 quilômetros de Macarani, um novo manancial, até então inexplorável para esta finalidade, desde a sua nascente à desembocadura. Por ser protegida por matas densas em toda sua extensão, a água do Rio Paterão é limpa, quase cristalina, despoluída e rica em minerais, dispensando o uso de vários poluentes químicos, a exemplo do que acontece hoje, no já ultrapassado sistema vigente. 
Não foi tarefa fácil para a atual administração conseguir a aprovação do projeto da Água da Pingadeira e a liberação, quase que imediata, do dinheiro necessário à sua execução, por se tratar de um convênio de quase três milhões de reais. Entretanto, por força da determinação do atual gestor e sua equipe de técnicos, projetistas e engenheiros, o Ministério da Integração Nacional entendeu a necessidade emergente da obra e, no dia 30 de dezembro passado, foi depositado na conta da prefeitura R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais) referente a primeira etapa do projeto, que compreende a construção da barragem de captação, construção da adutora e canalização até a entrada de Itabai, distante 12 quilômetros da adutora, trabalho previsto para 120 dias.
Pela sua posição geográfica, acima do nível da cidade, a água chegará por gravidade, o que levará a uma considerável economia de energia elétrica, resultando numa tarifa mais econômica para a população. Num breve estudo feito pela Secretaria de Planejamento, a pedido do prefeito Carlinhos, uma boa parcela de usuários poderá até ser isenta da cobrança, dentro de critérios que serão criados posteriormente.
Quando da aprovação do projeto, em meados de 2010, a Prefeitura providenciou de imediato abrir licitação para contratação da empresa que se encarregaria pela obra. A Nortsul Construções Ltda, sediada em Salvador foi a vencedora e já deu o ponta pé inicial, no Sábado, 08, quando engenheiros da empresa estiveram no local de construção da barragem e fizeram um levantamento preciso da área.
Segundo Zelito Luiz da Silva Cavalcanti, proprietário e engenheiro da Nortsul, embora a empresa tenha, por força de licitação, um ano para concluir o trabalho, tudo será feito de forma a abreviar esse tempo. Já o engenheiro José Fabrício Gomes da Silva afirmou que a base de apoio será na Vila Gomes, onde será formado o “quartel general” de execução deste importante projeto que irá solucionar o problema de abastecimento de água de Macarani e, ainda, pela primeira vez, abastecer o distrito de Itabai de água potável. 
Serão gerados cerca de 30 empregos diretos na contratação de pedreiros, carpinteiros, encanadores, serventes e apontadores. Também serão alugadas caçambas, caminhões truck e caminhões de menor porte para que o trabalho não pare um só dia. Em relação a Itabai, a prefeitura construirá um reservatório de 20 mil litros de água para somar ao já existente e, assim, garantir o abastecimento em tempo integral aos moradores daquela localidade. Na sede, será construído um novo reservatório com capacidade para 200 mil litros, o que garantirá um futuro de tranquilidade para a população beneficiária de agora e de gerações vindouras. 
Esta obra será o grande marco da administração atual, que entrará para a história como a que, mesmo sem prometer, realizou o sonho da população de Macarani em poder consumir a água da Pingadeira, o que para muitos já havia se tornado uma lenda, pelos quase cinquenta anos de promessas de gestores passados, que se utilizaram desse artifício para ludibriar a fé do povo e se ascender ao poder, esquecendo-as logo após as eleições. O próprio prefeito Carlinhos, hoje com 51 anos, em sua adolescência já ouvia as pregações em palanque de que a água viria, e nunca veio. Só agora em seu governo, algumas décadas depois, isso foi possível.
Ao tomar ciência de que o dinheiro havia sido depositado na conta da prefeitura no Banco do Brasil, o prefeito Carlinhos comemorou e afirmou que “tudo isso era o resultado de um esforço, de uma luta, de muito trabalho e seriedade da nossa administração ao longo desses dois anos”. Ele aproveitou também para desabafar pelas criticas sofridas por opositores, principalmente alguns vereadores de oposição, que afirmaram ser uma farsa e que o prefeito mentia para a população quando falava que a Água da Pingadeira era real. “Essa luta encontrou pelo caminho vários obstáculos, como o descrédito de alguns, inclusive pessoas que, por sua posição política na nossa sociedade, deveriam levar esperança para a população e não ocupar a tribuna da Câmara Municipal para nos chamar de mentirosos, quando se referiam à Pingadeira. Como manda a lei, no primeiro dia em que a Câmara retornar de seu recesso, farei questão de encaminhar o Oficio dando ciência à Casa e, especialmente, àquele vereador, comunicando a liberação da verba, o inicio das obras, para que saiba que não somos mentirosos, mas mentirosos são aqueles que tentam de todas as formas denegrir a imagem publica daqueles que verdadeiramente trabalham para a população, ao invés de ficarem fazendo política da fofoca, do baixo nível, desejando sempre o pior para ver se ganham alguma coisa com isso, quem sabe um ou outro votinho a mais nas eleições”. Desabafou o prefeito.
O prefeito Carlinhos não esteve sozinho nesta luta. Quando do empenho do projeto em Brasília, o então ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima teve a mesma visão de futuro do postulante e não mediu esforços para que o trâmite burocrático recebesse atenção de cunho especial, pela urgente necessidade embutida criteriosamente no corpo do projeto. Pela linha de aproximação do o Ministro, Lúcio Vieira Lima foi o primeiro a ser consultado e, de imediato, acolheu a reivindicação do Governo “O Futuro Começa Agora” e o acompanhou até o final, a exemplo da ex-deputada estadual, Virginia Hagge que não mediu esforços para ajudar o prefeito Carlinhos neste importante pleito. A todos eles o agradecimento dos macaranienses. E viva a Água da Pingadeira, pois o que antes era apenas um sonho, hoje é uma realidade!

0 Comente esta matéria: