16 de mar de 2011

Diretores da Azaléia reclamam de faltas e venda de atestados médicos

A Vulcabrás/Azaléia depois do anúncio pelos jornais do sul do país de que está de malas prontas para abrir unidade fabril na Índia, autorizou seus representantes a falar com a imprensa local. No programa da Rádio Fascinação, ancorado pelo vice-prefeito Edilson Lima, que está gravado para quem quiser ouvir, Azaléia começou um trabalho de divulgação visando justificar a redução do tamanho do parque de produção com a conseqüente demissão de mais de 4 mil funcionários de Itapetinga e região. NOS MESES DE JANEIRO E FEVEREIRO OCORRERAM 5 MIL FALTAS E 11 MIL ATESTADOS MÉDICOS. Segundo relatou o radialista a Empresa não está cumprindo contratos assumidos devido ao grande número de faltosos. Somente nos meses de Janeiro e Fevereiro de 2011 foram contabilizadas 5 mil faltas e 11 mil atestados, totalizando15 mil dias de serviço perdidos. MÉDICOS DE ITAPETINGA E ITAMBÉ ESTÃO VENDENDO ATESTADOS MÉDICOS. No programa foi denunciado que Azaléia vai representar no CREMED (Conselho Regional de Medicina) contra três médicos itapetinguenses e um da cidade de Itambé, por venderem atestados médicos a preço de R$50,00. Para certificar dos fatos a empresa contratou pessoas para fingir de trabalhadores da Empresa e comprar os atestados alegando estarem doentes, conforme anunciado por Edilson Lima.
O SINDICATO DE VERDADE PRECISA CERTIFICAR VERACIDADE DAS DECLARAÇÕES DA AZALÉIA. Para saber se realmente são verdadeiras as informações, os dirigentes do Sindicato de Verdade e da Câmara de Vereadores precisam marcar audiência com diretores da fábrica. Realmente estão acontecendo excesso de faltas e atestados ou a empresa quer fazer uma campanha negativa para justificar as demissões em massa? AZALÉIA RECLAMA DA FALTA DE APOIO DO PREFEITO Os dirigentes da Azaléia reclamaram da falta de apoio do prefeito que só procura a fábrica em busca de patrocínio. As obras de acesso a fábrica, por exemplo, tem causado queixas dos dirigentes. Assim a demora na conclusão das Avenidas Júlio José Rodrigues e Paulo Souto tem levado transtornos para diretores e empregados. O governador precisa tomar pé da situação antes que seja tarde. AZALÉIA NA ÍNDIA EM BUSCA DE MÃO DE OBRA BARATA, TRABALHADORES SEM CONSCIÊNCIA, ENERGIA DE BAIXO PREÇO E POUCAS LEIS AMBIENTAIS. Enquanto a grande imprensa anuncia que o alto preço do real frente ao dólar tem reduzido o poder de competição dos produtos brasileiros no mercado externo. E que principalmente este fator é o responsável por levar Vulcabrás/Azaléia a repensar seu projeto de desenvolvimento. Todos sabem que a lógica capitalista visa puramente o lucro. Na Índia a empresa vai encontrar mão de obra com salário de 85 dólares, energia barata, desmobilização sindical e ausência de leis ambientais. Tudo isso é o suficiente para aumentar a lucratividade da empresa. Nossa região quando não mais interessar, desmonta o barraco e muda de lugar ou país. Informações do Itapetinga Net

0 Comente esta matéria: